4. ESCOLA PARA PROFETAS,  Ministérios

Profetas em Épocas de Transição

Neste ensino você vai entender o porquê Deus levanta profetas e comunidades proféticas em épocas de transição. Nas Escrituras temos diversos relatados que comprovam este padrão divino.

As Escolas de Profetas, criadas por Samuel, foram responsáveis por banir a idolatria de Israel e criar o ambiente propício para o surgimento do reinado de Davi e Salomão. Também, no período da restauração, descritos nos livros de Esdras e Neemias, o Senhor enviou os profetas Ageu e Zacarias para profetizarem, animando e encorajando o povo a continuar com a obra de construção (Esdras 5:1-3).

Antes de Jesus Cristo começar Seu ministério público, João, o Batista, surgiu para cumprir a profecia anunciada por Isaías: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. A pregação de João Batista era: “Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus” (Mateus 3:1-12). O Reino dos céus estava sendo trazido por Jesus Cristo e os corações sendo preparados pelo profeta João Batista.

Então, o objetivo de Deus em levantar os Seus profetas em períodos de transição é preparar o ambiente para o Rei e Seu Reino.

Está no coração do Pai que todos os Seus filhos sejam canais da Sua Palavra como profetas. Quando o Senhor tirou do Espírito que havia sobre Moisés e pôs sobre os setenta anciãos, todos eles profetizaram no arraial, “…mas, depois, nunca mais”. Porém, dois dos setenta, Eldade e Medade, continuaram profetizando. Um moço correu até Moisés e relatou que aqueles dois continuavam profetizando no arraial. Josué, que servia a Moisés, pediu para Moisés proibir que aqueles dois continuassem profetizando. “Porém Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Tomara todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu Espírito!” (Números 11:24-29).

Atos relata que os crentes que receberam o Espírito Santo falavam em línguas e profetizavam: “E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam” (Atos 19:5, 6). Por isso entendemos o porquê Paulo afirmou que “Porque todos podereis profetizar, um após outro, para todos aprenderem e serem consolados” (1 Coríntios 14:31). Todos, num culto de uma igreja Neotestamentária, devem profetizar a palavra do Senhor para a edificação, ensino, consolo e encorajamento da igreja (vss. 3, 31-34).

Em Apocalipse, os anjos falaram a João quando este queria adorá-los: “Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia (Apocalipse 19:10). O testemunho de Cristo será levado a efeito por meio da “profecia”, conforme se vê no presente versículo. A “tradição profética” envolve a exaltação à pessoa do Messias, anunciando Sua mensagem ao mundo; e esse é o testemunho de Cristo que inspira toda autêntica profecia.

Também foi predito nas Escrituras, que nos últimos dias, segundo a profecia de Joel (Joel 2:28-32), o Espírito de Profecia viria sobre o remanescente de Deus. O Novo Testamento ainda confirma que os homens, pela unção do Espírito Santo, profetizarão nestes dias, Atos 2:14-21. Apocalipse mostra que o Senhor levantaria profetas (uma comunidade profética) no tempo do fim (Apocalipse 11:3). Estes profetas andarão na unção de autoridade em que viveram Moisés e Elias. O Senhor está nos preparando, hoje, nas Escolas de Profetas, a desenvolvermos esta unção profética para sermos canais (trombetas) nas mãos de Deus.

Hoje vivemos os dias da expansão e estabelecimento do Reino de Deus sobre toda a Terra e o Senhor está derramando uma porção dobrada do Seu Espírito de profecia sobre os que creem. E, nesta mensagem, vamos entender o que envolve esta unção profética que estamos recebendo do Senhor, nestes dias.

A passagem de 2 Reis 2:1-5 mostra que havia Escolas de Profetas (com mestres e discípulos) nas cidades de Gilgal, Betel e Jericó. Quando Elias e Eliseu foram ao rio Jordão encontrava-se com eles cinquenta discípulos da Escola dos Profetas (2 Reis 2:7, 16 ,17) Cerca de cem discípulos faziam parte da Escola dos Profetas comandada por Eliseu em Gilgal (2 Reis 4:38, 42, 43). Elias foi formado numa destas Escolas de Profetas, ele morava em Gileade (1 Reis 17:1). Débora, Juízes 4:4, 5, foi uma profetiza que viveu entre Ramá e Betel.

Estudar a vida dos profetas do Senhor, tanto do Antigo como do Novo Testamento, trará muito proveito para a sua vida nestes dias da Restauração de todas as coisas (Atos 3:19-21).

O trecho de 2 Reis 4:1 a 6:23 contém uma série de relatos maravilhosas que descrevem como era a vida na Comunidade Profética, entre os profetas e seus discípulos. Temos relatos de prodígios miraculosos, da autoria de Eliseu, que recebeu dupla porção do Espirito de Elias (2 Reis 2:9) e, por isso mesmo, realizou o dobro do número de milagres de seu senhor. Os discípulos dos profetas sempre estavam juntos de seus mestres e, acompanhando os milagres, curas e manifestações de autoridade realizados pelos seu “pais”, estavam aprendendo os princípios espirituais envolvidos em cada manifestação do poder de Deus. Estes e outros princípios espirituais é que precisamos conhecer, dominar e praticar. E alguns deles estudaremos nesta mensagem…

Abaixo disponibilizo o estudo completo em formado PDF, com 18 páginas, para que você possa se aprofundar e receber esta unção do Espírito de Profecia sobre você, sua família e sua comunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *